Vulcões que mudaram a história

Ouça os misteriosos sons produzidos por Saturno
06/01/2017
Salto Ángel – Uma das cachoeiras mais bonitas do mundo!
09/01/2017

Vulcões que mudaram a história

Os vulcões estão entre os elementos da natureza com o maior poder destrutivo já visto pelo ser humano. Algumas explosões vulcânicas na História foram mais fortes que qualquer bomba criada pelo ser humano, sendo responsáveis por mudanças consideráveis.

5 – Thera (1645 – 1500 a.C.)

Se esse vulcão, localizado na ilha grega de Santorini, não tivesse entrado em erupção há 3,5 mil anos, é possível que toda a região do Mediterrâneo fosse bem diferente. Por ter acontecido há tanto tempo, não há qualquer registro escrito, mas estudos feitos por geólogos sugerem que foi a explosão mais poderosa da história do planeta.

Essa conclusão foi possível através da análise do fluxo das cinzas no fundo do oceano. Arqueólogos acreditam que tsunamis de mais de 45 metros resultaram da explosão do Thera e dizimaram tudo que havia na ilha de Creta. A erupção varreu a civilização minoica da Terra – o que marcou o evento como “a erupção minoica” – e, possivelmente, originou a lenda de Atlântida, a cidade perdida.

4 – Monte Vesúvio (79 D.C.)

A erupção do Vesúvio é amplamente conhecida por ter acabado completamente com a cidade de Pompeia. Uma imensa nuvem de pedras e cinzas se ergueu a mais de 30 quilômetros de altura e a explosão liberou 100 mil vezes a energia térmica registrada pela bomba de Hiroshima.

O calor foi tão forte que a água do golfo próximo ao vulcão simplesmente evaporou – um fenômeno conhecido como fluxos piroclásticos hidrotérmicos –, o que causou diretamente a morte de mais de 16 mil pessoas. O mais impressionante é que o vulcão já teve outras erupções, a mais recente em 1944, mas ainda existem aproximadamente 3 milhões de pessoas morando nas proximidades do Vesúvio.

3 – Monte Tambora (1815)

A erupção do Tambora foi tão poderosa que o clima no mundo todo foi alterado, culminando em um período chamado de “o ano sem verão”. Apesar de ter acontecido na Indonésia, os impactos foram sentidos ao redor do globo e colheitas inteiras foram afetadas. A explosão em si não foi a causa, já que a queda nas temperaturas era algo que vinha acontecendo há séculos, mas, sem dúvidas, o Tambora ajudou a acelerar um pouco as coisas.

2 – Krakatoa (1883)

É bem difícil fazer uma lista sobre erupções catastróficas e não falar do Krakatoa. Ela foi responsável pela morte de mais de 36 mil pessoas e é figurinha carimbada nos registros das explosões vulcânicas mais mortais da História.

A explosão, que aconteceu na Indonésia, lançou enormes rochas a quase 25 quilômetros de altura e foi ouvida na Austrália – que fica a meros 4,5 mil quilômetros de distância. A câmara de magma rompeu e permitiu que a água do mar entrasse em contato com a lava, criando uma nuvem de vapor escaldante que se moveu a impressionantes 100 km/h e fez as primeiras vítimas da erupção.

A nuvem de cinzas era tão densa que deixou a região na escuridão por três dias e os efeitos da erupção no clima foram sentidos pelos cinco anos que sucederam o episódio.

1 – Monte Pinatubo (1991)

O evento mais recente da lista, que aconteceu há “apenas” 25 anos, gerou consequências que duram até hoje. Tudo começou com um pouquinho de magma escorrendo, mas, quando a coisa toda explodiu, foi pra valer: toneladas de rochas e detritos foram lançados a 35 quilômetros de altura, atingindo a estratosfera.

Uma mistura de areia, cinzas e pedras vulcânicas percorreu boa parte do planeta. A erupção causou danos à camada de ozônio como nunca havia sido visto até então. Os depósitos de lava e detritos ao redor do Pinatubo ainda retêm muito calor, com temperaturas atingindo quase 500 graus Celsius.

Fonte: Megacurioso

Comentários

Jonathan N. Ramos
Jonathan N. Ramos
Sou Jonathan, tenho 20 anos, nascido em Valhalla, NY. Fotógrafo amador, apaixonado pela natureza, filosofia, cinema. Sempre acompanhado de uma xícara de café e uma boa música! "Sejam todos muito bem vindos ao mundo maravilhoso das curiosidades!"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mostrar
Esconder
//]]>